Governo de São Paulo entrega mais de 200 apartamentos populares no centro da capital

Empreendimento na região da Luz vai beneficiar famílias de baixa renda; PPP da Habitação já entregou 1.443 moradias sociais na capital

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Habitação e da Secretaria de Desenvolvimento Social, entregou, na manhã desta terça-feira (23/02), mais de 210 apartamentos populares para famílias de baixa renda que trabalham na região central e ainda não tinham acesso à casa própria.

Localizado na região da Luz, o empreendimento de 2.253,05 m² na rua Mauá, foi construído pela PPP (Parceria Público Privada) da Habitação, em parceria com a Prefeitura de São Paulo e tem o objetivo de aprimorar a infraestrutura de serviços e equipamentos públicos, além de revitalizar áreas centrais da capital paulista.

Os 42 apartamentos contam com um dormitório (38 m²), nove unidades com dois dormitórios adaptadas para Pessoa Com Deficiência (49,6m²) e 159 unidades com dois dormitórios (49 m²), além de itens de lazer, como: playground, salão de festas, salão de jogos, jardins e pátio ajardinado. O empreendimento também contará com 22 lojas no andar térreo a serem locadas ou comercializadas pelo parceiro privado.

"É com muita alegria que participamos deste evento, no qual podemos ver a felicidade das famílias que conquistaram o sonho da casa própria e vão morar perto dos seus locais de trabalho, ganhando mais qualidade de vida", comemora a Secretária de Desenvolvimento Social, Célia Parnes.

Já o Secretário de Habitação, Flavio Amary, destaca a importância da revitalização da região Central. "Além de ajudar a diminuir o déficit habitacional ao lado dos demais programas de moradia do Estado, a PPP do Centro também promove a revitalização do centro expandido", completou.

A PPP da Habitação já entregou 1.443 moradias sociais na região central da Capital, promoveu a revitalização da Praça Júlio Prestes, a reforma do 2º Grupamento da Unidade do Corpo de Bombeiros e entregou a creche municipal Nova Luz. O Programa prevê ainda a construção de 3.683 unidades, sendo 2.260 habitações de interesse social (HIS) e 1.423 habitações de mercado popular (HMP).