Gensler, sobre Evergrande: EUA estão em posição mais forte para absorver choques


O presidente da comissão de valores mobiliários americana (SEC, na sigla em inglês), Garry Gensler, afirmou nesta terça-feira, 21, que os Estados Unidos estão em uma "posição bem mais forte em 2021 para absorver choques" do que estava na crise anterior, mas isso não quer dizer que o país está isolado dos acontecimentos no mundo, lembrando a grande interconectividade com a economia global. As declarações foram feitas em entrevista ao Washington Post, em resposta a questionamentos sobre a possibilidade de o possível default envolvendo a chinesa Evergrande levar a desdobramentos semelhantes ao da crise de 2008.

"As reformas depois da crise de 2008 deixaram o sistema financeiro dos EUA muito mais forte", afirmou Gensler. Ainda assim, "da mesma forma que o mundo reagiu a um choque imobiliário americano em 2008, os EUA podem sofrer com choques em outros países", ponderou, apontando especialmente para a China e a Europa.

Questionado sobre criptomoedas, afirmou que são interessantes, e que estão levando a mudanças, como nas formas de pagamento de bancos centrais. Em sua visão, no momento há uma competição para aprimorar os serviços, incluindo oferecer maior disponibilidade e redução de custos. Ele reforçou, contudo, que é preciso garantir proteção para investidores e consumidores, incluindo contra fraudes.