VOCÊ VIU?

Grade Lista

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira, 13, que apenas o ministro das Comunicações, Juscelino Filho (União Brasil), sabe a "verdade" em relação aos fatos que levaram ao seu indiciamento pela Polícia Federal. Ele também indicou não ter pressa para resolver a questão e afirmou que terá uma "conversa franca" com o ministro quando retornar da Cúpula do G7, na Itália, onde participará hoje como convidado.

 

Lula falou sobre a situação de Juscelino após desembarcar em Genebra, na Suíça, para participar do fórum inaugural da Coalizão Global pela Justiça Social, iniciativa lançada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

 

O ministro foi indiciado em inquérito da PF sobre suspeitas de desvio de verbas federais da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), caso revelado pelo Estadão em janeiro de 2023. Da Suíça o presidente seguiria na noite de ontem para a Itália.

 

Fator de desgaste para o governo, as suspeitas que envolvem Juscelino têm levado o presidente a fazer um cálculo político. Conforme apurou o Estadão/Broadcast, um dos principais fatores que vão pesar na decisão sobre a saída ou permanência do ministro das Comunicações na Esplanada é a fragilidade da base do governo no Congresso (mais informações nesta página).

 

"Quando eu voltar[AO BRASIL], depois do G7, vou sentar e descobrir o que aconteceu de verdade", comentou o presidente. "Digo para todo mundo, só você sabe a verdade. Se você cometeu erro, reconheça que cometeu. Se não cometeu, brigue pela sua inocência", completou Lula, dizendo que essa é uma orientação dada a todos os seus ministros. "Só ele sabe a verdade, ninguém mais."

 

O ministro foi indiciado anteontem, após a PF finalizar as investigações sobre desvio de verbas federais da Codevasf. A corporação imputa a Juscelino indícios de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O Estadão apurou que o relatório final da investigação cita ainda a suspeita de crimes de falsidade ideológica, frustração de caráter competitivo de licitação e violação de sigilo em licitação, previstos no Código Penal.

 

'Ação política'

 

Em nota divulgada nesta quarta, 12, o ministro afirmou que o indiciamento é "uma ação política e previsível" e "parte de uma apuração que distorceu premissas, ignorou fatos e nem sequer ouviu a defesa sobre o escopo do inquérito". Segundo ele, a investigação "repete o modus operandi da Operação Lava Jato".

 

Após o indiciamento, o União Brasil, partido que indicou Juscelino para compor a Esplanada, manifestou "total apoio" ao ministro. Nota da Executiva Nacional da legenda diz que não admitirá "prejulgamentos" e defende que o princípio da presunção de inocência e o devido processo legal sejam "rigorosamente respeitados".

 

"É importante esclarecer que essa investigação não tem relação direta com a atuação de Juscelino Filho como ministro das Comunicações. Curiosamente, ela teve início após sua nomeação para o primeiro escalão do governo federal, o que levanta suspeitas sobre uma possível atuação direcionada e parcial na apuração", afirma o União Brasil no comunicado.

 

Antes, Lula havia adotado um tom mais ameno e minimizou o indiciamento do auxiliar, apesar de afirmar que "é preciso que as pessoas provem que são inocentes".

 

'Erro'

 

Segundo o presidente, o enquadramento do ministro das Comunicações nos crimes apontados pela PF não significa que ele "cometeu erro". "O fato de o cara estar indiciado não significa que o cara cometeu erro. Significa que alguém está acusando e a acusação foi feita", afirmou. "Agora, é preciso que as pessoas provem que são inocentes, e ele tem o direito de provar que é inocente."

 

Lula destacou que, até aquele momento, não havia conversado com o ministro, pois estava em viagem. "Vou tomar uma decisão sobre esse assunto", reiterou o presidente na conversa com jornalistas.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Foragido da Justiça, o presidente do Solidariedade, Eurípedes Júnior, é suspeito de envolvimento no sumiço de um helicóptero avaliado em R$ 3,5 milhões do PROS - legenda incorporada pelo Solidariedade -, no desmonte da sede e do parque gráfico do antigo partido e também em esquema de furto mediante fraude que teria resultado no "esvaziamento de contas da agremiação" às vésperas de sua destituição da presidência do PROS.

 

O dirigente foi o principal alvo da Operação Fundo no Poço, aberta nesta quarta-feira, 12, pela Polícia Federal. Agentes tentaram cumprir um mandado de prisão contra Eurípedes, mas ele não foi encontrado. A ofensiva apura a suspeita de desvio de R$ 36 milhões dos fundos partidário e eleitoral do Solidariedade nas eleições de 2022 e possíveis candidatura laranjas lançadas no Distrito Federal (mais informações nesta página). O presidente do partido é citado nas investigações como "líder da organização criminosa".

 

O Estadão procurou o Solidariedade e a defesa de Eurípedes Júnior, mas não houve resposta até a publicação deste texto. O espaço segue aberto.

 

A operação que atingiu o presidente do Solidariedade foi autorizada pelo juiz Lizandro Garcia Gomes Filho, da 1.ª Zona Eleitoral de Brasília. Ao decretar a prisão preventiva do dirigente, o magistrado destacou indícios que apontam desvio de dinheiro público em benefício de Eurípedes e de familiares e aliados dele.

 

Equipamentos

 

O "desmantelamento" da sede e do parque gráfico do PROS foi destacado pelo juiz no decreto de prisão preventiva de Eurípedes. Segundo Gomes Filho, o dirigente poderia "comprometer a produção da prova com o ímpeto de embaraçar o prosseguimento das investigações".

 

A PF indica que o ex-presidente do PROS e hoje presidente do Solidariedade "determinou um desmonte" do parque gráfico da legenda em Planaltina (GO) às vésperas do julgamento do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios que o destituiu da presidência daquele partido.

 

Os investigadores disseram ter encontrado uma nota fiscal que indica que os equipamentos foram vendidos por R$ 868 mil. No entanto, segundo a PF, a avaliação dos equipamentos supera R$ 15 milhões, "a denotar desvio de valores em favor do grupo investigado". O relatório da PF assinala que, além do maquinário, também foram retirados da sede do partido dez veículos, um helicóptero, computadores e até aparelhos de ar-condicionado.

 

Contas

 

A PF ainda analisou retiradas financeiras de R$ 3 milhões das contas do PROS após o afastamento de Eurípedes - depois foi informado o estorno à Fundação da Ordem Social, vinculada ao partido. A PF classificou essa movimentação como "grave indicativo de organização criminosa".

 

"Ao ser afastado por decisão judicial do comando do partido, no dia 8 de março de 2022, (Eurípedes) buscou esvaziar as contas da agremiação, procedendo à transferência de valores do Fundo Partidário para a Fundação da Ordem Social, onde ainda teria poderes de gestão e direção", diz a PF.

 

Os investigadores descrevem Eurípedes como chefe de organização criminosa "estruturalmente ordenada com o objetivo de desviar e se apropriar de recursos dos fundos partidário e eleitoral". Segundo relatório da Fundo no Poço, ele "gere o partido como um bem particular, auferindo enriquecimento ilícito pessoal e familiar por meio do desvio e apropriação dos recursos públicos destinados à atividade político-partidária".

 

Viagens

 

De acordo com as investigações, esses recursos repassados ao partido que teriam sido desviados bancaram viagens de Eurípedes e familiares. A mulher do dirigente, a mãe, um irmão, a cunhada, um primo e sobrinhos também são investigados. Alguns ocupam cargos no Solidariedade.

 

Diversos destinos são listados no inquérito - Emirados Árabes, França, República Dominicana, Estados Unidos, México e Itália. Dois deles chamaram a atenção da PF: Miami e Orlando. Isso porque quase sempre as viagens tinham escala no Panamá, um paraíso fiscal. Os federais apuram se integrantes da família do dirigente mantêm contas em offshores.

 

O fluxo de viagens e o paradeiro até então incerto do helicóptero registrado em nome do PROS levaram o juiz Gomes Filho a determinar a apreensão dos passaportes de todos os investigados, por ver risco de fuga. A aeronave foi apreendida anteontem.

 

Gomes Filho também fez um alerta ao destacar em sua decisão a proximidade das eleições municipais. "O Solidariedade irá gerir verba eleitoral milionária, com grave risco de perduração dos atos criminosos, dada a percepção de que o acusado, familiares e pessoas de seu relacionamento permanecem integrando importantes cargos no partido, com forte suspeita de que persistem em plena atividade criminosa nos mesmos moldes perpetrados no então PROS", disse.

O apresentador José Luiz Datena (PSDB) oficializou nesta quinta-feira, 13, sua pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo. Após recuar de quatro pré-candidaturas em outras eleições, Datena disse que desta vez irá "até o fim". "Claro, uai. Eu não disse que vou?", respondeu ele ao ser questionado por jornalistas ao fim do evento. Datena não quis dar entrevista coletiva para preservar a voz.

 

Durante a cerimônia, criticou a licitação de transporte público assinada pelo então prefeito Bruno Covas, último integrante do PSDB a comandar a Prefeitura de São Paulo e que morreu em 2021. O jornalista afirmou que seu "sonho" é que a população da cidade entre no transporte coletivo sem pagar passagem de ônibus para o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o crime organizado. Ele mencionou a Operação Fim da Linha, que mirou o envolvimento da facção com duas empresas de ônibus que prestam serviço na cidade.

 

Os atuais contratos com as empresas de ônibus foram assinados por Covas em 2019, após seis anos sem passar por licitações. Datena chegou a aceitar ser vice de Covas em 2020, de quem se disse amigo, mas afirmou ter desistido para não atrapalhar o tucano, já que o PSDB naquele momento estava rachado. Sem o apresentador, o escolhido foi o atual prefeito, Ricardo Nunes (MDB).

 

O presidente do PSDB, Marconi Perillo, ressaltou em seu discurso que o jornalista é um "homem de palavra", que "cumpre o que promete".

 

'Imprevisível'

 

Nos bastidores do partido, mesmo os mais otimistas admitem que Datena é imprevisível. A pré-candidatura precisa ser confirmada pela convenção partidária, realizada entre o fim de julho e o início de agosto. No lançamento, o apresentador disse não ter medo de ser prefeito e que fará a campanha sem colete à prova de bala. "Vou fazer com o peito aberto. Atira aqui", afirmou, apontando para o próprio peito. "Se me deixarem de cadeira de rodas, eu termino a campanha de cadeira de rodas e ganho", declarou Datena.

 

Como antecipou o Estadão, Datena deixará seu programa na Band apenas no dia 30 de junho, prazo máximo definido pela legislação eleitoral. Ele afirmou que não desembolsará "um tostão" para financiar a campanha eleitoral. Questionado, Marconi Perillo disse que o valor exato a ser investido na candidatura ainda será definido pelo partido.

 

No discurso, Datena também criticou a polarização, que, segundo ele, quase levou ao golpe no 8 de Janeiro, e rechaçou que a divisão seja transferida para a eleição municipal. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva apoia Guilherme Boulos (PSOL), enquanto o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) se aliou a Nunes.

 

"No final, quem vai sair na urna no dia que você for votar? Pelo jeito, vai sair a cara do Lula ou do Bolsonaro. Quem vai governar a cidade de São Paulo não vai ser nenhum deles. Todo voto vai ser bem-vindo e bem recebido", disse Datena.

 

O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), que fez um discurso inflamado, minimizou a ausência de apoio de outros partidos ao pré-candidato tucano. Segundo ele, as alianças são importantes por causa do tempo de propaganda no rádio e na televisão, mas perdem relevância diante do nível de conhecimento de Datena entre a população.

 

Aécio citou Mario Covas Neto, que voltou ao partido recentemente, e o ex-senador José Aníbal como bons nomes para serem vice, mas ponderou que a decisão será tomada pelo diretório municipal.

 

O PSDB manifestava preferência pelo lançamento de uma candidatura própria, mas a ausência de nomes viáveis diante do enfraquecimento do partido nos últimos anos surgia como empecilho.

 

A dificuldade foi superada em abril, quando a também pré-candidata Tabata Amaral (PSB) articulou a ida de Datena para a legenda em uma tentativa de conseguir o apoio dos tucanos e ter ele como vice. Ontem, o apresentador elogiou a deputada e disse que tem respeito por ela. "Foi ela que sugeriu eu vir para o PSDB. Evidentemente, sob outras circunstâncias, que mudaram", afirmou sem entrar em detalhes. O coordenador político de Tabata, Orlando Faria, filiado ao PSDB e que tentava convencer o partido a apoiá-la, estava presente no lançamento da pré-candidatura, mas foi discreto. A deputada não compareceu.

 

Tabata e seu entorno demonstram ceticismo em relação a uma candidatura do apresentador a prefeito, mas argumentam nos bastidores que, caso isso ocorra, ele não tira votos dela, conforme as pesquisas mais recentes. Na última pesquisa Datafolha, divulgada no fim de maio, tanto Datena como Tabata aparecem com 8% das intenções de voto, empatados tecnicamente em terceiro lugar com Pablo Marçal (PRTB), que tem 7%. Boulos, com 24%, e Nunes, com 23%, lideram, também empatados dentro da margem de erro de três pontos porcentuais.

 

'Embrião'

 

"Nasce aqui hoje o embrião de um projeto importante para governar São Paulo, mas nasce aqui hoje, junto com Datena, um projeto para liderar o Brasil", disse Aécio Neves. O PSDB terá candidatos a prefeito em 120 das 645 cidades paulistas.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Benjamin Zymler, foi assaltado nesta quinta feira, 13, na Praia do Futuro, litoral de Fortaleza (CE).

 

Zymler, que visitava a cidade para participar do debate sobre a Nova Lei de Licitações e Contratos, fazia uma caminhada na praia durante o período da manhã, quando teve seus pertences roubados, entre eles um relógio e digital e o celular.

 

O Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur) da Polícia Militar do Ceará (PM-CE) localizou os suspeitos por meio de um sistema de geolocalização no relógio do ministro. Dois homens foram presos em flagrante com os pertences de Zymler e com uma faca utilizada no crime.

 

Com 23 e 28 anos de idade, os acusados já respondem criminalmente por outros delitos. O primeiro, de 23 anos, tem passagem na polícia por roubo, realizar ameaças, corromper menores, além do uso de entorpecentes e constranger alguém com violência ou grave ameaça. O segundo, de 28 anos, também tem histórico de roubo e ameça, somados a lesão corporal e crime ambiental.

 

Ambos foram levados Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur) para responder pelos atos.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira, 13, que em dois dias a Casa "já serenou um pouco", em referência à aprovação do projeto de resolução que acelera a suspensão do mandato de deputados que se envolvam em brigas e faltem com o decoro parlamentar. A medida foi uma resposta política de Lira a confrontos "quase físicos" que ocorreram na Câmara nas últimas semanas.

 

"Só o fato de o parlamentar saber que, se ele fizer um ato que não seja digno do cargo que ele ocupa ou da função para a qual ele foi eleito, pode acontecer a represália de ele ter o mandato suspenso, com todas as gravidades de não ter salário, de não ter assessoria, de não ter verba de gabinete, de não poder falar, de não poder frequentar e de ter que ir ao crivo do plenário, em voto ostensivo, em dois dias a Câmara já serenou um pouco", declarou Lira, durante o IX Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral, em Curitiba (PR).

 

O deputado alagoano afirmou que o Código de Ética da Câmara tem regras adequadas, mas que precisam ser cumpridas. Ele também disse que o Regimento Interno da Casa tem procedimentos adequados, mas que precisam de mais rapidez. "Mas isso foi tratado de uma maneira tão heterodoxa, no sentido de dizer que era o AI-5 do Lira", reclamou, em referência às críticas de que o projeto que propôs concentraria muito poder em si próprio sobre os mandatos dos deputados.

 

"Tomamos a iniciativa de reunir a parte técnica da Casa e propor uma alteração regimental para cautelarmente poder suspender um deputado em casos excepcionalíssimos, gravíssimos e hediondos como aconteceram nas últimas semanas e vêm acontecendo", afirmou.

 

"Eu penso que essa medida foi acertada, eu espero que nunca seja usada, porque isso não é um bônus, é um ônus para a Mesa Diretora e para o Conselho de Ética sempre estar tratando de suspensão de mandato de pares, iguais, que foram eleitos da mesma forma", emendou Lira, no evento.

 

A Câmara aprovou na noite desta quarta-feira, 12, com 400 votos a favor e 29 contra, a proposta de Lira que dá à Mesa Diretora o poder de sugerir ao Conselho de Ética a suspensão por até seis meses do mandato de deputados que se envolverem em brigas.

 

O projeto, que já está valendo, dá um prazo de três dias para o colegiado avaliar se houve de fato quebra de decoro para justificar a suspensão. Os parlamentares poderão recorrer. Caso o Conselho não tome uma decisão, a medida será levada ao plenário, que precisará de maioria absoluta para suspender o mandato.

 

"Estamos perdendo o respeito. Não é admissível acontecer o que aconteceu no Conselho de Ética, no plenário e nas comissões. Aliás, sempre as mesmas comissões", declarou Lira durante uma reunião na terça-feira, 11, quando apresentou a proposta aos líderes partidários, segundo relatos feitos ao Broadcast Político por participantes do encontro, realizado na residência oficial da Presidência da Câmara.

 

No último dia 5, a Câmara encerrou a sessão deliberativa no plenário sem votar nenhum projeto. Parlamentares disseram que o principal motivo foi o estado de saúde da deputada Luiza Erundina (PSOL-SP), que passou mal durante reunião na Comissão de Direitos Humanos e foi hospitalizada, mas também pesou o fato de os ânimos já estarem exaltados na Casa após brigas ao longo do dia.

 

Os deputados federais André Janones (Avante-MG) e Nikolas Ferreira (PL-MG) haviam discutido e precisaram ser apartados para evitar que saíssem no tapa. "Dou na sua cara com um soco, seu otário", disse Janones. "Pode vir, bate", respondeu Nikolas.

 

A briga entre os dois começou em razão da tumultuada sessão do Conselho de Ética, que julgou representação do PL contra Janones pela prática de "rachadinha", quando partes dos salários de funcionários do gabinete são repassadas ao parlamentar.

 

Após o colegiado arquivar o caso por 12 votos a cinco, deputados apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e da base de Lula começaram a trocar insultos e provocações. Janones chamou parlamentares de "boiola" - inclusive Nikolas - e os convocou "para conversar lá fora".

 

Janones ainda teve confronto com outro deputado bolsonarista na saída do Conselho de Ética. Desta vez, foi o deputado Zé Trovão quem quis partir para cima do político mineiro.

Crítico da operação Lava Jato, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), tem recorrido a um instrumento jurídico que se popularizou durante o auge da operação e foi alvo de contestações pelos integrantes da Suprema Corte: as extensas prisões preventivas. Um dos casos que se arrasta no tribunal, sem a formalização de denúncia, é a prisão de Filipe Martins, ex-assessor para assuntos internacionais da Presidência da República. Preso há quatro meses, Martins é acusado de integrar um "núcleo jurídico" que fundamentaria um golpe de Estado.

 

Em delação, o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens da Presidência, disse que Martins foi o responsável por entregar a Bolsonaro uma "minuta do golpe", que previa a prisão de autoridades e a convocação de nova eleição presidencial. O caso colocou o ex-assessor entre os alvos da PF. Ele nega que tenha tido envolvimento com o documento.

 

Ao pedir a prisão preventiva de Martins, em fevereiro, a PF argumentou que o nome de Martins estava na lista de passageiros que viajaram a Orlando a bordo do avião presidencial em 30 dezembro de 2022. Desde então, a defesa do ex-assessor busca reverter a prisão sob a alegação de que a "ilusória viagem imaginada pela Polícia Federal" não ocorreu.

 

Para isso, a defesa de Martins, representada pelos advogados Ricardo Scheiffer e Sebastião Coelho, tem apresentado uma série de provas no decorrer do processo que, segundo eles, seriam suficientes para provar que o ex-assessor de Bolsonaro não deixou o País como apontado pela PF. Entre os documentos apresentados estão uma lista de passageiros do voo citado, obtida via Lei de Acesso à Informação com Gabinete de Segurança Institucional em 2023, recibos de iFood, comprovantes de movimentações bancárias e um comprovante de viagem doméstica que Martins teria feito no dia seguinte ao dia que os investigadores alegam que ele teria viajado aos Estados Unidos.

 

As passagens aéreas da Latam de Brasília para Curitiba do dia 31 de dezembro foram anexadas ao processo para argumentar que Martins permaneceu no Brasil. O ex-assessor teria ido para Ponta Grossa (PR), onde ficou na casa do sogro, lugar em que foi preso.

 

Moraes pediu para a companhia aérea Latam e a concessionária que administra o aeroporto de Brasília que informem se ele viajou aos Estados Unidos e que apresentem imagens da segurança.

 

Conforme mostrou o Estadão, investigadores localizaram, no banco de dados do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (Department of Homeland Security, em inglês), um registro da entrada do assessor em território americano, no dia 30 de dezembro de 2022, com passaporte comum.

 

A Procuradoria-Geral da República (PGR), que havia opinado pela revogação da prisão preventiva, passou a defender "diligências complementares" para "esclarecer" se Filipe Martins saiu ou não do Brasil.

 

As tentativas de reverter a prisão de Martins têm sido negadas por Moraes. Em um agravo regimental em que questiona a manutenção da prisão, os advogados alegam que a acusação "não consegue provar" que o ex-assessor efetivamente viajou para os Estados Unidos e mantém a prisão baseada em um "risco abstrato de fuga".

 

"O presente caso reveste-se de uma singular inversão do ônus da prova: a acusação não consegue provar que o agravante viajou, mas a relatoria exige do agravante que prove não ter viajado. E tudo isso baseado em um 'risco abstrato de fuga'", diz a defesa.

 

E acrescentam:

 

"Como ocorreu essa viagem? Se o agravante não consta na lista, a acusação estaria dizendo que ele viajou 'escondido' no avião presidencial? Se sim, como? Dentro do bagageiro? Disfarçou-se de garçom na tripulação? A Polícia Federal consegue apresentar alguma prova de qualquer coisa ou apenas ilações simplórias?", alegam.

 

Martins está no Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais (PR), que ficou conhecido como o presídio da Operação Lava Jato. A defesa dele nega intenção de negociar uma delação premiada.

Decreto publicado na edição desta sexta-feira, 14, do Diário Oficial da União (DOU) autoriza o aumento do capital social da Telebras, com a com a emissão de novas ações ordinárias nominativas e preferenciais nominativas.

 

O aumento de capital virá pela incorporação da atualização pela Selic de recursos que somam R$ 367 milhões, já previstos em outro decreto, de abril de 2022, ainda no governo de Jair Bolsonaro.

 

"Fica a União autorizada a subscrever ações emitidas por meio da utilização de créditos relativos aos seus investimentos na Telebras, na proporção de sua participação no capital social da empresa, após a aprovação do aumento de capital social pela assembleia geral de acionistas", completa o decreto.

A relação do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, é "tão forte e pessoal" que não será uma questão que vai abalar essa credibilidade, defendeu a ministra a ministra do Planejamento, Simone Tebet, em entrevista ao jornal O Globo. "O presidente Lula sabe que praticamente a única coisa que deu quase que 100% certo no ano de 2023 foi a pauta econômica do governo", acrescentou.

 

Tebet ponderou que o foco do presidente sempre foi o social, mas que nos bastidores ele não interdita o debate.

 

"Não podemos querer do presidente um discurso que ele não tem", pontuou a ministra. "Ele deixa para equipe econômica dizer que, para ter social, tem que ter equilíbrio fiscal. Então é da essência do presidente Lula. Todo mundo sabe que é assim."

 

A ministra defendeu que seu papel no momento não é lutar pelo governo ou por sua imagem, e sim pelo Brasil.

O estoque de produtos agrícolas no País totalizou 44,6 milhões de toneladas ao fim do segundo semestre de 2023, segundo a Pesquisa de Estoques divulgada na quinta-feira, 13, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação ao mesmo período de 2022, houve alta de 13,2%.

 

Houve expansão nos estoques de milho (15,8%) e soja (39,6%), mas redução em trigo (13,3%). "Os estoques dos produtos se relacionaram diretamente com a safra de 2023, recorde na produção de soja e milho, proporcionaram estoques maiores e a queda na produção de trigo, por causa de problemas climáticos, reduziram os estoques", explicou o IBGE no relatório.

 

Esses produtos acrescidos do arroz e do café, constituem 92,7% do total de produtos levantados pela Pesquisa, sendo os 7,3% restantes compostos por algodão, feijão preto, feijão de cor e outros grãos e sementes.

 

Os estoques de milho somaram o maior volume, 21 milhões de toneladas, seguidos pela soja (11,3 milhões), trigo (6,4 milhões), arroz (1,5 milhão) e café (1,1 milhão).

 

A capacidade útil disponível no Brasil para armazenamento agrícola foi de 210,9 milhões de toneladas em estabelecimentos ativos no segundo semestre de 2023, 4,7% maior do que o resultado do semestre anterior.

 

O número de estabelecimentos ativos foi de 9.102 locais, um acréscimo de 4,8% ante o primeiro semestre de 2023.

 

No segundo semestre de 2023, todas as regiões tiveram aumento no número de estabelecimentos: Norte (3,1%), Nordeste (2,3%), Sudeste (1,4%), Sul (5,1%) e Centro-Oeste (6,7%).

 

O Rio Grande do Sul tem o maior número de estabelecimentos de armazenagem (2.387), seguido por Mato Grosso (1.621), e Paraná (1.369).

 

Mato Grosso tem a maior capacidade de armazenagem do País, com 55,5 milhões de toneladas, sendo 58,9% do tipo graneleiros e 35,9% do tipo silos.

 

O Rio Grande do Sul tem 37,7 milhões de toneladas de capacidade, e o Paraná, 34,1 milhões de toneladas de capacidade, com predominância do silo.

 

Quanto à capacidade útil armazenável, os silos somaram 110 milhões de toneladas no segundo semestre de 2023, o que representa 52,2% da capacidade útil total. Em relação ao primeiro semestre de 2023, a capacidade dos silos cresceu 4,6%.

 

Os armazéns graneleiros e granelizados atingiram 77,8 milhões de toneladas de capacidade útil armazenável, 36,9% de toda a armazenagem nacional. Houve expansão de 6,3% na capacidade ante o semestre anterior.

 

Os armazéns convencionais, estruturais e infláveis somaram 23,1 milhões de toneladas, uma fatia de 10,9% da capacidade total do País. O resultado representou um aumento de 0,2% em relação ao primeiro semestre de 2023.

O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Kazuo Ueda, afirmou nesta sexta-feira, 14, que a redução de compras dos títulos públicos do país (JGBs) deverá ser de um valor "considerável". A fala da autoridade foi feita durante coletiva de imprensa, após a decisão do BC de manter os juros inalterados na faixa de 0% e 0,1%, o que já era esperado pelo mercado.

 

Na decisão, o BoJ também indicou que seguirá com o ritmo de compras dos títulos, mas Ueda reforçou que o BC irá iniciar a redução das compras após decidir os detalhes na próxima reunião, que termina no dia 30 de julho.

 

Ueda também afirmou que é "apropriado" reduzir a compra de JGB de maneira "flexível e previsível".

 

A autoridade monetária, entretanto, afirmou que não tem certeza de quanto tempo durará a redução das participações JGB.

 

Ueda acrescentou que a autoridade irá elevar os juros se a inflação subjacente crescer de acordo com previsões e alertou que as taxas de câmbio possuem grande impacto na economia e nos preços, mais do que tinham no passado.

 

*Com informações da Dow Jones Newswires.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) ficou estável, com uma variação levemente positiva de 0,01% em abril ante março, na série livre de efeitos sazonais. Em março ante fevereiro, houve uma retração de 0,34% antes da revisão. Após o ajuste apresentado nesta sexta-feira, 14, o recuo foi de 0,36%.

 

O dado de abril ante março do IBC-Br na margem veio pior que a mediana das expectativas coletadas pelo Projeções Broadcast com analistas do mercado financeiro, de alta de 0,40% no indicador no mês. No geral, o intervalo aguardado ia de queda de 0,12% a crescimento de 0,80%.

 

De março para abril, o índice de atividade calculado pelo BC passou de 148,36 pontos para 148,38 pontos na série dessazonalizada. Com isso, o resultado é o pior desde janeiro, quando também pontuou 148,36.

 

Já na comparação entre os meses de março de 2024 e de 2023, houve avanço de 4,01% na série sem ajustes sazonais. Esta série registrou 154,72 pontos no quarto mês do ano, o melhor desempenho para meses de abril da série histórica do BC iniciada em 2003.

 

O indicador de abril ante o mesmo mês de 2023 ficou pior que a mediana de alta de 4,20% da pesquisa do Projeções Broadcast. As expectativas coletadas no levantamento variavam de retração de 0,30% até elevação de 5,40%.

 

Conhecido como uma espécie de "prévia do BC" para o Produto Interno Bruto (PIB), o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. Atualmente, o BC prevê crescimento de 1,9% para o PIB deste ano, enquanto o governo projeta avanço de 2,5%.

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça multou a Enel Distribuição Rio em R$ 13,067 milhões em um processo administrativo sancionador que apurava a interrupção de serviço público essencial e demora no restabelecimento por parte da companhia. O órgão aplicou multa idêntica à Enel Distribuição São Paulo no começo de junho.

 

De acordo com despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU), a punição levou em consideração "a gravidade da prática infrativa, a extensão do dano causado aos consumidores, a vantagem auferida, a condição econômica da empresa e os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade".

 

Caso a Enel não recorra da decisão, será aplicado um desconto de 25% na multa.

 

A Senacon ainda remeteu o despacho ao Ministério de Minas e Energia e à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) "para sugerir avaliação da possibilidade das seguintes medidas adicionais", como intervenção administrativa ou mesmo a revogação da concessão.

Três derrotas seguidas, marcação severa da torcida e reformulação no elenco em meio à disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Pressionado por todos os lados, o Santos enfrenta o Operário-PR nesta sexta-feira, às 19h, em Ponta Grossa, disposto a encerrar essa queda livre na classificação. Como não vence desde o dia 19 de maio, um novo revés pode decretar profundas mudanças no futebol do clube.

 

Ciente do momento de tensão, o técnico Fábio Carille tentou se precaver nos treinamentos da semana para evitar mais estragos. Nas atividades de campo, ele deu ênfase aos trabalhos de bola parada defensiva e pretende armar uma equipe forte na marcação para poder explorar os contra-ataques na casa do rival.

 

Com 15 pontos, Santos e Operário chegam para este confronto com a mesma pontuação. Preocupado com os acontecimentos da semana, o treinador santista pediu, além de empenho, também foco e personalidade para iniciar essa volta por cima.

 

"Não tem o que fazer: é trabalhar mais e falar menos. É acreditar naquilo que estamos fazendo. A culpa é de todos e vamos treinar mais para reverter essa situação", afirmou o treinador que, após derrota para o Novorizontino, sentiu a insatisfação aumentar de intensidade durante a semana.

 

Após o ataque ao ônibus no retorno de Novo Horizonte, torcedores formaram grupos para cobrar explicações dos atletas no Centro de Treinamento do clube por dois dias seguidos. O reflexo disso foi a intervenção do presidente Marcelo Teixeira na situação. Ele anunciou que vem tratando da rescisão contratual de atletas que não estão nos planos em meio a esse clima de caos. Nonato e Cazares estão deixando a Vila. Nesta quinta, o meia Ivonei, revelado na base, teve o vínculo rescindido

 

O Santos deixou a cidade ainda na quarta-feira e fez a última atividade de preparação já em Ponta Grossa. Os atacantes Júlio Furch e Guilherme, que estavam se recuperando de lesões, foram relacionados. Provavelmente eles não devem iniciar o confronto pela falta de ritmo, mas aumentam o leque de opções para mudar o time.

 

Diante de um adversário que vem embalado por duas vitórias seguidas (Amazonas e Guarani), Carille aposta numa marcação compacta, com João Schmidt e Diego Pituca responsáveis por proteger a defesa. Na frente, o experiente Willian Bigode deve comandar o setor. Pedrinho, Guilherme, Otero e Hayner brigam por mais duas vagas.

 

Com expectativa de casa cheia para o duelo (os 1.500 ingressos destinados aos visitantes já estão esgotados), o Operário tenta fazer o seu ataque ser mais produtivo diante do Santos. Até aqui, foram apenas seis gols em nove rodadas. Rodrigo Rodrigues, Willian Machado e Ronald devem compor o setor nesta sexta-feira em busca da terceira vitória consecutiva.

 

FICHA TÉCNICA:

 

OPERÁRIO-PR X SANTOS

 

OPERÁRIO-PR - Rafael Santos; Ocampos, William Machdo, Alemão e Pará; Joseph, Lindoso (Neto Paraíba) e Pedro Lucas; Rodrigo Rodrigues, Maxwell e Ronaldo. Técnico: Rafael Guanaes.

 

SANTOS - Gabriel Brazão; JP Chermont, Gil Joaquim e Escobar; João Schmidt, Diego Pituca e Giuliano; Pedrinho (Otero), Willian Bigode e Guilherme (Hayner). Técnico: Fábio Carille.

 

ÁRBITRO - Alex Gomes Stefano (SP).

 

HORÁRIO - 19h.

 

LOCAL - Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa (PR).

Na lanterna da Série B do Campeonato Brasileiro, sem técnico e em crise, o Guarani vai enfrentar o Avaí, nesta sexta-feira, no estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC), pela 10ª rodada.

 

Com sete derrotas e preocupado com o rebaixamento à Série C, o time de Campinas tenta quebrar uma sequência de cinco jogos sem vitória, sendo quatro derrotas e um empate, amargando a lanterna, com quatro pontos. Após a derrota, por 1 a 0, para Operário-PR, a diretoria demitiu o técnico Júnior Rocha e agora busca um novo treinador, que pode ser Pintado, ex-Portuguesa. Ele seria o terceiro comandante só nesta Série B, uma vez que o time começou com Claudinei Oliveira. Neste jogo, o time vai ter Marcelo Cordeiro como interino.

 

O cenário fica pior ainda ao Guarani porque o Avaí atuará em casa, tem 17 pontos e briga pela liderança. Não perde desde a segunda rodada, ainda em abril, e acumula sete jogos de invencibilidade.

 

O time campineiro só leva vantagem no retrospecto. Em 17 jogos, o Guarani tem nove vitórias, contra seis do Avaí e mais dois empates.

 

Além disso, nas últimas quatro vezes em que os times se enfrentaram, os campineiros venceram em todas as oportunidades. A última vez aconteceu na própria Ressacada, na 20ª rodada da Série B 2023, quando os paulistas venceram por 2 a 1.

 

No outro jogo, o Santos também é outro paulista que tenta afastar a má fase. Afinal perdeu seus últimos três jogos, uma sequência inimaginável antes do início da competição: Novorizontino (3 a 1), Botafogo (2 a 1) e América-MG (2 a 1).

 

Com 15 pontos, em quinto lugar e pela primeira vez fora da zona de acesso, o Santos vai até Ponta Grossa (PR) pegar o Operário-PR, também com 15, mas em oitavo por ter menos vitórias e menor saldo de gols do que seus concorrentes diretos. A bola rola no estádio Germano Krüger, a partir das 19h.

 

Esta será a quarta vez em que os times se enfrentarão na história, mas a primeira em jogos oficiais. Anteriormente, os adversários se encontraram em 1958, quando o Santos venceu por 2 a 0, em 1979, com nova vitória paulista, por 3 a 1, e a última em 1988, há 36 anos, quando o Santos mais uma vez saiu vencedor, desta vez, por 1 a 0.

 

A rodada segue no sábado, com mais três jogos. Às 15h30, o América Mineiro recebe o CRB, no Independência. Em sequência é a vez da Ponte Preta medir forças diante do Novorizontino, no Estádio Moisés Lucarelli, a partir das 17h. Mais tarde, às 18h, o Ituano encara o Paysandu, no estádio Novelli Júnior.

 

No domingo acontecerão outras quatro partidas. Às 11h começa o duelo entre Botafogo-SP e Vila Nova, em Ribeirão Preto, seguido por Brusque e Ceará às 16h, no Gigantão das Avenidas, em Itajaí (SC). A partir das 18h30, Goiás e Coritiba se encontram no estádio Hailé Pinheiro, simultaneamente a Sport e Mirassol, na Arena de Pernambuco.

 

Confira os jogos da 10ª rodada:

SEXTA-FEIRA

19h

Operário-PR x Santos

21h

Avaí x Guarani

 

SÁBADO

15h30

América-MG x CRB

17h

Ponte Preta x Novorizontino

18h

Ituano x Paysandu

 

DOMINGO

11h

Botafogo-SP x Vila Nova

16h

Brusque x Ceará

18h30

Goiás x Coritiba

Sport x Mirassol

Sem sustos, a seleção brasileira feminina de vôlei atropelou a Bulgária por 3 sets a 0, com parciais de 25/11, 25/11 e 25/23, na madrugada desta sexta-feira, e ampliou a série invicta na Liga das Nações. Agora a equipe liderada por José Roberto Guimarães soma 11 triunfos consecutivos.

 

O destaque da partida foi a oposta Tainara, maior pontuador do confronto, com 19 acertos. A seleção contou com o retorno de Ana Cristina, desfalque nas duas partidas anteriores, devido a um desconforto na panturrilha esquerda. Ela anotou 15 pontos e foi uma das principais brasileiras em quadra.

 

Mais uma vez, Zé Roberto promoveu mudanças na equipe, visando os testes para a futura convocação para a Olimpíada de Paris-2024. O treinador poupou a central Carol e a ponteira Rosamaria. O time entrou em quadra com Roberta, Thaisa, Diana, Gabi, além de Tainara e Ana Cristina. A líbero foi Nyeme.

 

"Estamos felizes por manter a nossa regularidade, mesmo com a nossa quedinha no terceiro set. Mas rapidamente a gente se recuperou e revertemos a situação. Essas situações sempre vão existir, mas conseguimos sair dela de uma forma lúcida. Agora vamos descansar porque temos uma partida muito importante pela frente. Vamos manter o foco", afirmou a levantadora Roberta.

 

Ela se refere ao último jogo do Brasil nesta fase classificatória. A seleção encerra sua participação, antes da fase final, diante da Turquia, o time que deve oferecer maior dificuldades às comandadas de Zé Roberto. A Turquia é a atual líder do ranking da federação internacional.

 

O Brasil busca a vitória para manter a série invicta e também para confirmar a primeira colocação nesta fase, o que renderia um cruzamento mais tranquilo nas quartas de final. Em caso de tropeço, às 6h deste domingo (horário de Brasília), a seleção poderá perder a ponta para a vice-líder Polônia.

A 17ª edição da Eurocopa dá seu pontapé inicial nesta sexta-feira, na Allianz Arena, em Munique, com Alemanha x Escócia, naquela que promete ser a maior e mais disputada competição ao longo de seus 64 anos. O mais importante torneio de seleções da Europa chega sem um favorito absoluto, com candidatos à surpresa, casos de Holanda, Portugal e Dinamarca, e com as gigantes do continente sob pressão de brilhar em solo alemão.

 

Sede da Eurocopa, que contará com 24 seleções, a tricampeã Alemanha tentará aproveitar o fator casa para desencantar após 28 anos de jejum - não ergue o troféu desde 1996. Em contrapartida, a Espanha também correrá atrás do tetracampeonato, mas sem tanta pressão após dois títulos recentes (2008 e 2012).

 

Os alemães vêm trabalhando em clima de festa para a competição, com treinos abertos com até quatro mil torcedores em Herzogenaururach. O lema da equipe vem no ônibus que conduz os jogadores: "A Alemanha está unida pelo futebol".

 

Ocorre que a seleção não passa das oitavas de final desde 2016. "Estamos bem preparados e confiantes. Não fomos bem nos últimos torneios, mas espero que possamos nos beneficiar da euforia do nosso país e do apoio da torcida para percorrermos um longo caminho", afirma o capitão Gündogan.

 

Por outro lado, a Inglaterra, outra potência, buscará seu primeiro título após fracassar na final caseira da edição passada, contra a Itália. Derrotada na decisão da Copa do Mundo para a Argentina, a França tentará apagar a má impressão dos últimos jogos na busca pelo terceiro título.

 

Apesar de ser a detentora do título, a Itália chega à Alemanha com um grupo totalmente reformulado e mais uma vez sob desconfiança, como na edição passada. Primeiro pela maneira que buscou a classificação contra a Ucrânia, que reclamou muito de um pênalti no fim do jogo que definiu a segunda colocada do grupo nas Eliminatórias - estava 0 a 0.

 

E pelas muitas trocas no grupo. São 18 novidades em relação ao time campeão em Wembley. O brasileiro naturalizado Jorginho é um dos poucos remanescentes. "Jogar sendo o campeão é um estímulo", enfatiza o técnico Luciano Spaletti. "A Itália em 2021 não estava entre as equipes mais fortes no papel e, após a conquista, se tornou um grupo especial", diz, ressaltando a sequência de 37 partidas sem derrotas na época.

 

A seleção italiana chega à Alemanha com resultados modestos nos últimos amistosos de preparação (0 a 0 com a Turquia e apenas 1 a 0 na Bósnia e Herzegovina), o que a deixa sob alerta no "grupo da morte". A estreia é dia 15, contra a Albânia. Ainda enfrentará Croácia e Espanha pelo Grupo B.

 

A Inglaterra, vice campeã da edição passada ao perder o título em Wembley para a Itália, terá de buscar superação por causa dos tantos desfalques. Mesmo encabeçando as bolsas de apostas, a seleção não terá nomes de peso, casos de Rashford, Henderson, Maguire, Sterling, Grealish e Sancho.

 

O técnico Gareth Southgate já deixou claro que deixará o comando da Inglaterra caso não conquiste o título. Mas evita colocar pressão desnecessária em sua renovada equipe. "Estou há oito anos na seleção e sempre perto (dos títulos). Se queremos ser uma grande equipe, temos de saber aproveitar os grandes momentos."

 

O astro será o artilheiro Kane, que mostra ambição. "Estou animado. Queremos fazer história aqui. Penso que essa equipe é uma das melhores, senão a melhor que já tivemos", disse. "Temos jovens com talentos incríveis e destemidos."

 

Entre as equipes apontadas como candidata ao título, a Espanha espera se redimir das duas últimas edições. E o capitão Morata esbanja confiança. "Estamos aqui para vencer. Ganhar a Euro não é fácil, mas temos feito grandes melhorias, temos uma grande equipe e um grupo fantástico. Estamos preparados para enfrentar as dificuldades", fala o centroavante. "Não estamos aqui de férias, será um mês de muito trabalho."

 

Campeão da Copa do Mundo como jogador (1998) e treinador (2020), e atuando na Eurocopa de 2000, o técnico Didier Deschamps tenta se redimir da queda precoce da edição passada da Eurocopa, quando a França foi eliminada pela Suíça nas oitavas de final, para fazer história. Sem erguer o troféu há 24 anos, o treinador aposta na força ofensiva, com Mbappé, Giroud e Griezmann para findar o longo jejum e fechar a conquista que falta como técnico.

 

"Tivemos uma saída prematura na edição passada da Eurocopa. E quando você não vence, os detalhes que não importam sempre ganham foco. Em nível internacional muito elevado, vencer é muito difícil e se manter é ainda mais. Mas vamos como paixão, desejo e determinação", observa o treinador.

 

Os últimos resultados, contudo, geram questionamentos. O time não funcionou no 0 a 0 com o Canadá, sofreu diante da fraca Macedônia apesar dos 3 a 0 e foi derrotada pela Alemanha. A esperança é que Mbappé decida.

 

Holanda, Dinamarca e Portugal aparecem como possibilidades a desbancar os campeões mundiais. No mais, são diversos candidatos a azarões para tentar aumentar o seleto grupo de 10 campeões em 16 edições. A última zebra ocorreu em 2004, com a Grécia levando o título na casa de Portugal, que se redimiu em 2016 ao desbancar a França.

 

Cristiano Ronaldo é o grande astro e o comandante de Portugal na Euro. Em sua sexta edição, espera fechar com chave de ouro sua brilhante passagem pela seleção portuguesa. "Vamos com tudo", avisou.

 

O regulamento da edição passada foi mantido, com os dois melhores de cada chave classificados às oitavas de final, além dos quatro melhores terceiros. A competição seguirá com mata-matas até a grande final, dia 14 de julho, em Munique.

 

Confira os grupos da Eurocopa:

 

Grupo A - Alemanha, Hungria, Escócia e Suíça

Grupo B - Espanha, Albânia, Croácia e Itália

Grupo C - Inglaterra, Dinamarca, Eslovênia e Sérvia

Grupo D - França, Áustria, Holanda e Polônia

Grupo E - Bélgica, Romênia, Eslováquia e Islândia

Grupo F - Portugal, Turquia, República Checa e Geórgia

 

Jogos da primeira rodada:

 

14/6

Alemanha x Escócia, em Munique (16 horas, de Brasília)

 

15/6

Hungria x Suíça - Colônia (10 horas)

Espanha x Croácia - Berlim (13 horas)

Itália x Albânia - Dortmund (16 horas)

 

16/6

Sérvia x Inglaterra - Gelsenkirchen (10 horas)

Eslovênia x Dinamarca - Stuttgart (13 horas)

Polônia x Holanda - Hamburgo (16 horas)

 

17/6

Áustria x França - Düsseldorf (10 horas)

Bélgica x Eslováquia - Frankfurt (13 horas)

Romênia x Ucrânia - Munique (16 horas)

 

18/6

Turquia x Geórgia - Dortmund (13 horas)

Portugal x República Checa - Leipzig (16 horas)

 

Veja a lista de todos os campeões do torneio:

 

1960 - Rússia

1964 - Espanha

1968 - Itália

1972 - Alemanha

1976 - República Checa

1980 - Alemanha

1984 - França

1988 - Holanda

1992 - Dinamarca

1996 - Alemanha

2000 - França

2004 - Grécia

2008 - Espanha

2012 - Espanha

2016 - Portugal

2020 - Itália

O Palmeiras cumpriu com o dever de casa nesta quinta-feira, no Allianz Parque, e derrotou o Vasco por 2 a 0 pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Com grande atuação de Estêvão e gols de Piquerez e Rony, o time alviverde pecou pela ineficácia ofensiva, mas fez o suficiente para derrotar uma equipe limitada e que dificilmente escapará da luta contra o rebaixamento no torneio nacional.

 

O Palmeiras se mostrou mais voluntarioso em campo, uma das características que o time havia perdido nos últimos meses. Essa capacidade permitiu aos jogadores tomarem melhores decisões na escolha de jogadas e passes e favoreceu o trabalho dos atletas mais habilidosos e com capacidade de criação, como Raphael Veiga e Estêvão. O jovem de 17 anos brilhou com assistências e finalizações, enquanto o meia fez uma de suas melhores partidas na temporada.

 

A fragilidade do Vasco permitiu que o Palmeiras fizesse uma partida tranquila, deixando a sensação de que poderia facilmente ter aplicado uma goleada. O time alviverde está promovendo uma transformação silenciosa em seu elenco. Somente nesta janela já saíram três atletas: Endrick, Luan e Luís Guilherme. Felipe Anderson e Giay estão acertados e podem chegar atacantes, meia e zagueiros. Ainda não há como dizer que Abel Ferreira encontrou soluções efetivas dada falta de parâmetro ao enfrentar um time fraco.

 

O Palmeiras começou melhor no jogo, criando as melhores oportunidades. Veiga arriscou finalizações e se apresentou como o líder do time em campo. Léo Jardim, em compensação, se tornou o principal nome cruzmaltino ao longo da etapa inicial. O Vasco também teve algumas chances e tentou pegar Weverton de surpresa.

 

O domínio do Palmeiras se converteu em gol aos 26 minutos. O garoto Estêvão tramou bela jogada pelo lado direito, invadiu a área e tocou para trás. O lateral canhoto Piquerez bateu de primeira, com a destra, e abriu o placar para os donos da casa. Com o placar adverso, o Vasco se viu obrigado a partir para a ofensiva, mas a debilidade técnica cruzmaltina facilitou o trabalho da defesa do Palmeiras.

 

O primeiro tempo mostrou um time alviverde muito mais ambicioso que aquele que esteve em campo ao longo da temporada. Há de se ponderar o nível do adversário, muito inferior em relação aos verdadeiros candidatos ao título nacional. Foram 22 finalizações do Palmeiras, mas só uma bola entrou, o que revela um problema de eficácia do ataque.

 

O segundo tempo repetiu o cenário do fim do primeiro tempo, com o Vasco mais presente do ataque e o Palmeiras atento a deslizes dos visitantes. Foi assim que o time alviverde ampliou o marcador. Sforza cochilou, Estêvão roubou a bola e cruzou para Rony balançar a rede, aos 11 minutos.

 

O Vasco permaneceu na mesma toada e passou a insistir nas bolas aéreas. A estratégia teria surtido efeito se Vegetti não tivesse empurrado Murilo antes de marcar o que seria o primeiro gol vascaíno. O lance foi revisado pela arbitragem após sugestão do VAR e anulado.

 

Abel optou por improvisar na reta final do jogo. O português tirou de campo os dois pontas, Lázaro e Estêvão, e colocou os laterais Caio Paulista e Mayke, que já atuaram nessa função em outras oportunidades. Logo depois, Zé Rafael marcou um belo gol, mas novamente o VAR entrou em ação e invalidou o terceiro tento do Palmeiras.

 

UNIFORME EM PROL DO MEIO AMBIENTE, HOMENAGEM A LUAN E PRESENÇA ILUSTRE

O Palmeiras entrou em campo com um uniforme diferente para alertar sobre a necessidade de conscientização sobre proteção ambiental. Com um tom de verde mais claro e manchas brancas espalhadas pela camisa, o uniforme foi produzido 100% com poliéster reciclado e o processo de fabricação não contou com o uso de alvejantes. No segundo tempo, foi feita uma troca de uniforme para chamar a atenção contra o desmatamento ilegal. A camisa utilizada tinha o branco como predominante no espaço que era verde na etapa inicial.

 

Durante o intervalo da partida, foi feita uma homenagem ao zagueiro Luan. O jogador defende o Palmeiras desde 2017 e vai vestir a camisa do mexicano Toluca. O clube alviverde vai arrecadar cerca de R$ 11 milhões com a transferência. O valor deve ser abatido da dívida com a patrocinadora, Crefisa. Já o Vasco, dono de 40% dos direitos econômicos de Luan, vai receber cerca de R$ 8 milhões.

 

O Allianz Parque contou com a presença ilustre do lutador Chael Sonnen. O americano esteve em sua primeira partida de futebol. Ele, que marcou época no UFC, terá neste sábado um reencontro com o brasileiro Anderson Silva, dessa vez no ringue de boxe.

 

FICHA TÉCNICA

 

PALMEIRAS 2 x 0 VASCO

 

PALMEIRAS - Weverton; Marcos Rocha, Naves, Murilo e Piquerez; Aníbal Moreno, Zé Rafael (Fabinho) e Raphael Veiga (Gabriel Menino); Estêvão (Caio Paulista), Rony (López) e Lázaro (Mayke). Técnico: Abel Ferreira.

 

VASCO - Léo Jardim; Maicon, Rojas (Sforza) e Léo; Puma Rodríguez (Victor Luís), Zé Gabriel, Galdames e Lucas Piton (Paulo Henrique); David (Adson), Vegetti e Rossi (Rayan). Técnico: Álvaro Pacheco.

 

GOLS - Piquerez, aos 26 minutos do primeiro tempo; Rony, aos 11 do segundo.

 

ÁRBITRO: Ramon Abatti Abel (SC).

 

CARTÕES AMARELOS - Rony e Abel Ferreira (Palmeiras); João Martins e Sforza (Vasco).

 

PÚBLICO - 37.641 presentes.

 

RENDA - R$ 3.025.701,01.

 

LOCAL - Allianz Parque, em São Paulo.

O técnico Luis Zubeldía não reclamou do gol do São Paulo anulado pelo VAR, lamentou as chances perdidas e preferiu valorizar o ponto ganho em Criciúma, nesta quinta-feira, diante do Internacional.

 

"Tivemos um jogo bom, correto, criamos três ou quatro chances claras e o arqueiro rival foi muito bem, evitando a nossa vitória", disse o treinador são-paulino, em entrevista coletiva.

 

Zubeldía disse ser 'fã' do VAR, mas criticou a forma que os lances são analisados. Para o treinador, a utilização de duas faixas uma em cima da outra para analisar a posição dos jogadores ocasiona distorção.

 

Para o clássico com o Corinthians, domingo, na Neo Química Arena, o técnico poderá contar com quase todo o elenco. Zubeldía confirmou o retorno do zagueiro Arboleda, mas não sabe se poderá ter Alan Franco em campo. O jogador vai ser reavaliado.

Finanças

As Melhores

Grade Lista

Os líderes dos países do G7, reunidos na Itália, anunciaram nesta quinta-feira, 13, um acordo para fornecer à Ucrânia um empréstimo de até US$ 50 bilhões que usará como garantia os juros gerados pelos cerca de US$ 300 bilhões em ativos soberanos da Rússia congelados em bancos europeus. EUA e Europa decidiram congelar esses ativos após a invasão da Ucrânia pelo presidente russo, Vladimir Putin, em 2022. O empréstimo será destinado à compra de armas e à reconstrução da infraestrutura ucraniana danificada pela guerra.

 

Detalhes do arranjo financeiro ainda seriam discutidos, mas os líderes disseram esperar que ele fortaleça as finanças da Ucrânia enquanto ela luta contra a invasão russa. O presidente americano, Joe Biden, disse em entrevista que o empréstimo serviria como um lembrete a Putin de que os aliados do grupo continuavam unidos contra a "agressão ilegal".

 

O acordo foi alcançado após meses de intensa discussão diplomática. Mas envolve uma operação financeira complexa e ainda não se sabe o que aconteceria se os ativos russos fossem liberados, em caso de um acordo hipotético com a Rússia, ou quem assumiria o risco em caso de inadimplência.

 

A Rússia respondeu que o acordo seria considerado criminoso. A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, disse que tentativas do Ocidente de usar a renda de ativos russos congelados levariam a uma resposta de Moscou que "seria muito dolorosa para a UE (União Europeia)".

 

O acordo sobre o uso de ativos russos marcou uma vitória para Biden e outros líderes que esperavam usar a cúpula na Itália para enviar um forte sinal de apoio à Ucrânia em um momento precário da guerra.

 

Segurança

 

Antes da entrevista, Biden e o presidente ucraniano, Volodmir Zelenski, assinaram também um acordo de segurança bilateral que busca estabelecer um compromisso de longo prazo dos EUA em relação à ajuda militar a Kiev. Zelenski participou como convidado de uma sessão especial dedicada à guerra da Ucrânia.

 

O pacto americano diz que futuras administrações dos EUA trabalharão com o Congresso para fornecer financiamento e apoio militar para a Ucrânia. Ele não faz novas promessas em relação ao pedido do país para juntar-se à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), mas, segundo Biden, coloca a Ucrânia no caminho para se tornar um de seus membros. Para Zelenski, o acordo é uma "ponte" para essa ambição.

 

As ações dos líderes do G7 na cúpula no sul da Itália representam o esforço mais recente dos aliados ocidentais para sinalizar seu compromisso em apoiar a defesa da Ucrânia com armas e financiamento, apesar de as divisões políticas dentro dos EUA e da Europa criarem incerteza sobre a longevidade desse apoio.

 

Putin redobrou a pressão militar sobre a Ucrânia nos últimos meses, explorando o fluxo intermitente de ajuda militar ocidental para danificar gravemente a rede de energia da Ucrânia com ataques de mísseis e expandindo a ofensiva terrestre da Rússia no leste ucraniano.

 

Volátil

 

Funcionários da Casa Branca reconhecem que futuros presidentes dos EUA poderiam se retirar do pacto de segurança entre Washington e Kiev, que não é um tratado e não requer aprovação do Congresso. Ele também não tem um valor em dólares de financiamento militar anexado. A Ucrânia já assinou uma série de pactos similares com países europeus.

 

O ex-presidente Donald Trump, que enfrenta Biden na eleição de novembro, disse acreditar que ele poderia persuadir Putin a negociar um fim para a guerra e questionou por que os EUA têm enviado bilhões de dólares em ajuda militar e financeira para a Ucrânia.

 

Mas Trump consentiu silenciosamente à passagem de um pacote de ajuda militar de curto prazo para a Ucrânia e endossou propostas de alguns republicanos para apoiar ucranianos na forma de um empréstimo. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Hezbollah afirmou na quinta-feira, 13, que lançou uma nova série de foguetes e drones contra posições do Exército de Israel, no segundo dia de ataques em retaliação pela morte de um dos principais comandantes do grupo. Em paralelo ao anúncio da milícia xiita, a mídia libanesa relatou a morte de um civil no Líbano após um ataque de Israel, também na noite da quinta-feira.

 

Foguetes foram disparados contra seis postos israelenses, disse o Hezbollah, que simultaneamente lançou drones explosivos contra três outros postos, incluindo uma principal divisão de inteligência no norte de Israel.

 

Os militares israelenses disseram que aproximadamente 45 projéteis, incluindo foguetes e drones, foram lançados em direção às áreas da Galiléia e das Colinas de Golã.

 

Este é um dos maiores ataques do Hezbollah contra posições militares israelenses desde o início da guerra na Faixa de Gaza entre Israel e o grupo terrorista Hamas, aliado do grupo libanês. Desde então, as trocas de agressões são quase diárias na fronteira entre o Líbano e o norte de Israel.

 

Na terça-feira, 11, um ataque israelense matou Taleb Sami Abdallah e outros três combatentes do Hezbollah, na vila de Juaiyya, no sul do Líbano. Uma fonte militar libanesa indicou que Abu Taleb é o "membro mais importante do Hezbollah assassinado" desde que o movimento xiita abriu um front com Israel, após o início da guerra em Gaza. Em resposta, a milícia xiita radical libanesa lançou 215 foguetes contra o território israelense na quarta-feira, 12.

 

O porta-voz do governo israelense, David Mencer, disse que seu país "responderá com força a todas as agressões do Hezbollah".

 

Segundo a estatal libanesa Agência Nacional de Notícias, uma mulher morreu em um ataque israelense contra uma casa no sul do Líbano na noite desta quinta-feira, entre as cidades de Jannata e Deir Qanoun al-Nahar. Outros sete civis ficaram feridos no ataque.

 

A mídia local informou que o ataque atingiu um prédio residencial de três andares e que os feridos, incluindo mulheres e crianças, foram transportados para hospitais locais, que fizeram um apelo para doações de sangue. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

O Congresso Nacional Africano (CNA), da África do Sul, chegou nesta quinta-feira, 13, a um acordo com os principais partidos da oposição para formar um governo de coalizão e pôr fim a um impasse político após perder sua maioria absoluta de 30 anos nas eleições de maio.

 

O secretário-geral do CNA, Fikile Mbalula, afirmou que o governo gravitará para o centro, depois que os partidos de esquerda rejeitaram um acordo. "Conseguimos um grande avanço no acordo comum sobre a necessidade de trabalharmos juntos", declarou Mbalula.

 

O anúncio foi feito na véspera da primeira sessão do novo Parlamento da África do Sul, hoje, quando os legisladores vão eleger um presidente. O CNA precisa da ajuda de outros partidos para reeleger o presidente Cyril Ramaphosa para um segundo e último mandato.

 

Mbalula descreveu a coalizão como um governo de unidade nacional e indicou que ela inclui a Aliança Democrática (DA), um partido liberal de centro-direita liderado por John Steenhuisen, que ficou em segundo lugar nas eleições. Além disso, integram o acordo o partido nacionalista zulu Inkatha Freedom Party (IFP), o pequeno Movimento Democrático Unido, de centro-esquerda, e o FF Plus, uma legenda identitária branca.

 

O partido de esquerda Fighters for Economic Freedom (EFF), liderado pelo ex-militante do CNA Julius Malema, que ficou em quarto, não foi incluído na coalizão, já que as negociações não prosperaram, indicou Mbalula.

 

Um amplo acordo era a primeira prioridade para o CNA conseguir a reeleição de Ramaphosa. O partido ficou em primeiro lugar com 40% dos votos, mas obteve seu pior resultado desde 1994, quando chegou ao poder com Nelson Mandela.

 

O partido, enfraquecido pela corrupção e os maus resultados econômicos, obteve 159 legisladores em um Parlamento de 400 assentos. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Para quem ama festa junina e não quer deixar a tradição de lado, a marca ensina novos habitinhos para celebrar a ocasião de forma mais equilibrada. Confira!

Uma das épocas mais aguardadas do ano é o mês de junho, que traz na bagagem as tradicionais festas juninas. Com decoração colorida, alto astral e muitos pratos doces e salgados, o que não faltam são guloseimas recheadas para incrementar as festividades. Contudo, na maioria das vezes, o cardápio sugerido em casa ou nas quermesses contém uma série de alternativas com ingredientes que podem prejudicar a saúde com o excesso de calorias, açúcares, farinha branca e temperos industrializados.

Por dentro do universo das calorias

Para muitas pessoas, as calorias são interpretadas unicamente como impulsionadoras do excesso de peso. A nutricionista da Jasmine, Adriana Zanardo, explica que as calorias vêm dos macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) presentes nos alimentos, e a energia do nosso corpo é obtida à medida que o organismo digere e absorve esses alimentos. Portanto, ao consumir produtos com calorias, podemos dizer que, de forma geral, o corpo tem energia para realizar suas funções. “Nós, seres humanos, precisamos de quantidades adequadas de calorias - assim como de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, minerais e fibras - para que o corpo funcione de forma apropriada”, destaca.

Na balança – Um ponto importante a ser avaliado ao escolher um alimento considerado calórico é que tipo de acompanhamento vem junto dele. “O pão de forma branco, por exemplo, pode ter menos calorias do que o pão de forma integral com castanhas e sementes na composição. Isso porque castanhas e sementes contêm maiores quantidades de gorduras. Todavia, esses alimentos também são boas fontes de vitaminas e minerais importantíssimos para a saúde, como ferro e vitamina E. Então, em termos nutricionais, apesar de ser mais calórico, o pão de forma integral com castanhas e sementes é melhor do que o pão de forma branco”, compara Adriana.

Calorias vazias x calorias cheias

“Dizemos que um alimento contém calorias vazias quando ele só oferece caloria, nada mais de bom (além de poder ter ingredientes prejudiciais à saúde), como no caso do refrigerante light, que tem menos calorias em comparação com a água de coco e o suco de uva integral, mas também contém uma série de aditivos artificiais que já têm comprovação científica sobre seus malefícios (como conservantes e adoçantes). Por sua vez, a água de coco e o suco de uva integral possuem nutrientes, como potássio e resveratrol, respectivamente, calorias cheias. Vale lembrar que a quantidade ingerida também deve ser levada em consideração”, esclarece.

“Resumindo, na combinação de nutrientes (carboidratos bons, proteínas, gorduras boas, fibras, vitaminas e minerais), as calorias são importantes, mas, assim como sua deficiência, seu excesso pode ser prejudicial e contribuir para o desenvolvimento de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs – obesidade, hipertensão, diabetes, hipercolesterolemia, entre outras). Por isso, a melhor estratégia é buscar o equilíbrio no dia a dia”, finaliza.

Com o entendimento sobre as calorias e seu impacto para a saúde, é hora de se preparar para o “arraiá” com Jasmine, que traz em seu portfólio produtos sem lupa frontal, que hoje é comunicada nas embalagens quando há excesso de açúcar, gordura saturada e sódio. Para isso, a nutri da marca preparou 10 dicas para inspirar novos habitinhos para a sua celebração. Coloque-as em prática para usufruir de um cardápio mais leve e saboroso.

1) Se for comemorar em casa, pensando em qualidade dos ingredientes, é possível fazer algumas substituições. Comece trocando o açúcar refinado pelo demerara em quantidades suficientes para adoçar. O leite integral também pode dar lugar ao leite semidesnatado, enquanto a manteiga pode ser uma opção mais interessante à margarina. E que tal ousar em uma mistura rica em fibras? Para isso, recomenda-se o mix de farinha de trigo integral com farelo de aveia.

Na hora de temperar os pratos principais, vale fazer a troca dos temperos industrializados por alho, cebola, ervas (in natura e desidratadas e outras especiarias). As carnes embutidas (como presunto, mortadela e linguiça) podem ser substituídas por opções magras, e o achocolatado em pó pode ficar em segundo plano com a presença do açúcar demerara;

2) Inclua castanhas (castanha-do-pará, castanha de caju, amêndoas, nozes), sementes (chia, linhaça, semente de abóbora, semente de girassol), grãos integrais (aveia, quinoa, amaranto), azeite de oliva, ovo, hortaliças (todas), ervas e especiarias (todas) como opções ricas em vitaminas e nutrientes para sua festa;

3) Na quermesse, veja todas as opções disponíveis e escolha aquelas que você gostar muito;

4) Coma devagar, mastigue bem e saboreie sua escolha;

5) Antes de fazer uma nova escolha, se pergunte: estou com fome? Realmente “cabe”? Talvez possa mais viável consumir em outro momento;

6) É válido manter os bons hábitos no dia para que não se “mate a fome” com pamonha e bolo de fubá, por exemplo, pois a chance de ocorrer exageros é maior. Para isso:

7) Consuma boas quantidades de verduras e legumes em, pelo menos, 1 refeição do dia;

8) Ingira 2 frutas diferentes no dia;

9) Faça, no mínimo, 30 minutos de exercícios físicos. Se já treina há um tempo, considere a intensidade moderada;

10) Não esqueça de beber boas quantidades de água (35ml/kg).

Os hábitos de higiene bucal são fundamentais para a conquista e manutenção de um sorriso saudável e bonito. Escovação, uso de fio dental, visitas regulares ao dentista…essas são algumas das atitudes que  devem ser cultivadas ao longo de toda a vida. “A partir dos pilares prevenção e cuidados diários, é possível evitar problemas como cáries, infecções gengivais, perdas dentárias e mau hálito”, diz o Dr. Sérgio Lago, Cirurgião-Dentista e Embaixador da S.I.N. Implant System. Confira, a seguir, seis dicas do especialista para um sorriso radiante:

1) Escove os dentes diariamente. As escovações regulares e diárias após as refeições (ao menos 3 vezes ao dia) removem os resíduos dos alimentos e evitam o surgimento de mau hálito, placa bacteriana, cáries, entre outros problemas. “O fio dental deve ser utilizado em todas as escovações, para uma limpeza efetiva”, diz o Dr. Lago.

2) Visite o dentista regularmente. Os cuidados com a saúde bucal vão além da questão estética, sendo essenciais para manter todo o organismo saudável. “As visitas ao dentista, idealmente a cada seis meses, contribuem para a prevenção de diversos problemas dentários e reduz as chances de procedimentos mais caros e invasivos no futuro”, diz o especialista.

3) Tenha uma alimentação consciente. Os alimentos ingeridos impactam a saúde bucal. Os muito açucarados, por exemplo, alimentam as bactérias que estão presentes na boca, estimulando a produção de ácidos (que podem dissolver o esmalte dentário, levando ao surgimento de cáries e problemas gengivais). Bebidas alcoólicas, por sua vez, têm substâncias que corroem os tecidos da boca, gengivas, bochechas e dentes, diminuindo a produção de saliva, que é responsável por ajudar a remover os restos alimentares que ficam na boca. 

4) Higienize a língua. Escovar a língua é importante porque assim como os dentes e a gengiva, a língua também causa mau hálito e problemas gengivais e pode até mesmo alterar o sabor dos alimentos. “E quando a língua não é higienizada adequadamente, pode surgir a  saburra, que é uma massa branca que fica impregnada na língua, que deixa a boca mais suscetível ao surgimento de tártaro e cáries”, diz o Dr.Lago. Em tempo: existem diversos tipos de higienizadores de língua no mercado, que facilitam muito esta tarefa! 

5) Cuide da saúde mental. Os problemas de origem emocional prejudicam a saúde e elevam o risco para a quebra ou, até mesmo, a perda dos dentes. Comprovadamente, o nervosismo e a ansiedade são fatores que levam ao desenvolvimento de desordens como o Bruxismo e o Apertamento dentário, além de contribuírem para a diminuição do fluxo salivar, que tem importante papel na proteção bucal. Em geral, práticas como atividades físicas regulares, ter um sono de qualidade e a manutenção de uma vida social ativa podem colaborar para a conquista do sorriso perfeito.

6) Beba bastante água. Manter-se hidratado bebendo pelo menos dois litros de água por dia é um fator importante para manter uma boa saúde bucal. “A água pode ajudar a remover os resíduos deixados por alimentos ácidos ou açucarados, evitando que estes permaneçam nos dentes, situação que pode levar ao surgimento de placa bacteriana, cáries, inflamações e infecções na gengiva”, diz o especialista.

Pacientes que passam por cirurgias, tratamentos de câncer e atendimentos de urgência dependem de doadores para terem novas chances

Apenas 14 brasileiros em cada mil doam sangue no país, totalizando aproximadamente 3 milhões de doações ao longo do ano. Cada doação é vital para pessoas como Ilza da Silva Evangelista, uma empregada doméstica de 60 anos, que experimentou a importância da solidariedade. Após ser diagnosticada com câncer de mama, Ilza precisou passar por uma mastectomia. Depois do procedimento, optou por uma reconstrução com prótese, mas enfrentou complicações devido ao encapsulamento do implante, o que resultou em dor e em uma nova cirurgia.

“O novo procedimento foi feito com uma técnica chamada DIEP, que consiste em uma reconstrução utilizando apenas o próprio tecido da paciente, sem implante de prótese. Como a cirurgia durou quase sete horas e foi utilizado anticoagulante, um medicamento que aumenta o sangramento, foi necessário realizarmos a transfusão de sangue”, explica Alfredo Duarte, cirurgião plástico do Hospital São Marcelino Champagnat, responsável pela cirurgia da paciente.

Importância dos bancos de sangue 

A disponibilidade de sangue compatível foi crucial para o sucesso do procedimento cirúrgico de Ilza. "Sempre achei a doação de sangue importante, porque nunca sabemos quando vamos precisar. Sou muito grata por essa atitude tão bonita. Hoje, minha filha e meu genro sempre doam e encorajam as pessoas que conhecem a fazer o mesmo. Graças a uma doação, pude me recuperar da melhor forma possível, então fazemos questão de reforçar o apoio a uma causa tão nobre", afirma.

Cirurgias como a de Ilza são seriamente impactadas pela falta de estoque nos bancos de sangue dos hospitais. Sem uma quantidade mínima de bolsas, a realização desses procedimentos fica comprometida, prejudicando diretamente os pacientes. “Nas situações em que não temos bolsas de sangue compatíveis, precisamos suspender as cirurgias, pois não podemos operar um paciente sem uma quantidade mínima de reserva de sangue. Não podemos correr o risco de, durante o procedimento, não dispor de sangue. O paciente pode ter complicações graves por conta disso”, explicita o cirurgião.

Doações e saúde pública

Além das cirurgias eletivas, a doação de sangue é crucial para o sistema de saúde como um todo, principalmente para hospitais de trauma, que lidam com casos graves e emergenciais. Em Curitiba, o Hospital Universitário Cajuru, referência no atendimento 100% SUS, realiza cerca de 147 mil atendimentos por ano — entre urgências, emergências, cirurgias e consultas laboratoriais. Devido à alta demanda, o hospital utiliza cerca de 420 bolsas de sangue por mês no atendimento aos pacientes.

“Em casos de cirurgias emergenciais, não há como adiar. O tempo de ação é decisivo nesses cenários, e o adiamento traz risco de complicações graves na evolução do quadro do paciente. Sem o estoque de sangue adequado, o paciente tem menor oxigenação dos tecidos, comprometendo a cicatrização. Além disso, para compensar a falta de sangue, o coração e os pulmões são mais exigidos e podem não suportar esse aumento de demanda, especialmente em pacientes idosos. A chance de complicações graves aumenta e, eventualmente, pode causar a morte”, enfatiza o coordenador do serviço de cirurgia geral do Hospital Universitário Cajuru, Adonis Nasr.

Rede de solidariedade 

Uma bolsa de sangue pode dar uma nova chance para, pelo menos, três pessoas. “Uma família de um casal e dois filhos adultos pode ajudar até 36 pessoas por ano. Uma empresa que estimula a doação entre seus funcionários duas vezes por ano pode beneficiar centenas de pessoas. É sempre importante que nós, como sociedade, incentivemos ações sociais em cadeia, estimulando a doação de sangue”, reforça Adonis. Pessoas entre 18 e 65 anos, que pesam acima de 50 quilos, têm boa saúde e, nos últimos 12 meses, não fizeram tatuagem, endoscopia ou colocaram piercing, podem doar uma vez a cada três meses e fazer parte dessa rede solidária.

Edital prevê a distribuição de R$ 5 milhões para territórios de favela de cinco capitais brasileiras

 

O Ministério da Cultura (MinC) tornou público, nesta sexta-feira (14), o resultado do processo seletivo do Programa Rouanet nas Favelas, que vai destinar R$ 5 milhões para projetos nos territórios de favela das capitais Belém (PA), São Luís (MA), Fortaleza (CE), Salvador (BA) e Goiânia (GO) e suas respectivas regiões metropolitanas. A portaria 409/2024 com a lista de selecionados foi publicada no Diário Oficial da União (DOU). A distribuição dos recursos será feita via mecanismo de Incentivo a Projetos Culturais (incentivo fiscal) da Lei Rouanet, com patrocínio da Vale S/A.
 

Os selecionados alcançaram as maiores notas de cada território do edital. O valor máximo individual do projeto é de R$ 200 mil, com a previsão de, no mínimo, cinco projetos selecionados por cidade até chegar à soma de R$ 5 milhões. Nesse caso, o território da capital da Bahia teve seis selecionados e o restante - Ceará, Goiás, Maranhão e Pará -, cinco cada um.
 

A portaria traz também a lista de propostas desclassificadas e as que foram classificadas, com boas notas e cumprindo os requisitos, mas não selecionadas por estarem abaixo das primeiras de cada cidade.
 

A Secretaria de Economia Criativa e Fomento Cultural (Sefic) informa que os candidatos inscritos como pessoa física que tiveram suas propostas selecionadas deverão apresentar novo cadastro no Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic) como pessoa jurídica com a documentação prevista em até 30 dias. As informações estarão disponíveis no campo "Providência Tomada" no sistema. As dúvidas sobre o uso do Salic podem estar contempladas no Manual do Proponente.
 

O Programa
 

Edital Rouanet nas Favelas é fruto de uma parceria entre o MinC, a Vale, o Instituto Vale Cultural e a Central Única das Favelas (Cufa). Os territórios contemplados foram definidos porque registram baixo índice de projetos aprovados para captação de valores pela Lei Rouanet e já contam com a atuação da Vale.
 

O secretário de Economia Criativa e Fomento Cultural (Sefic) do ministério, Henilton Menezes, celebrou o fim do processo seletivo. "Concluímos mais uma fase do processo de seleção do Programa e, em breve, nosso parceiro financiador iniciará os investimentos nesses territórios, antes excluídos dessa possibilidade de ações culturais com incentivos fiscais da Lei Rouanet. Mais uma ação que vai ao encontro da determinação da Ministra Margareth Menezes para a nacionalização do uso desses recursos."
 

O diretor presidente do instituto, Hugo Barreto, reforçou a importância do programa. "Desde o primeiro momento nos integramos a esta parceria com o MinC e a CUFA porque é uma iniciativa emblemática que traduz na prática o compromisso do Ministério em nacionalizar a produção cultural e fortalecer os fazedores de cultura das comunidades de morro e periféricas", destacou.

MinC acompanhou audiência de Escuta da Cultura na Emergência Climática realizada pela Assembleia Legislativa do estado
 

Participando virtualmente da audiência pública de Escuta Ativa da Cultura na Emergência Climática, realizada pela Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul na última terça-feira (11), o secretário-Executivo do Ministério da Cultura, Márcio Tavares, informou que escutar a comunidade cultural para a construção das ações no estado é parte central da atuação do MinC.

 

"A gente considera que a boa política pública, ainda mais construída numa condição tão adversa e emergencial como essa, ganha mais condições de ser efetiva quando conseguimos escutar aquilo que são as dores das pessoas, como elas estão sendo afetadas de forma concreta", avalia o secretário.

 

Márcio informou que na próxima semana o MinC deverá anunciar um conjunto de novas ações para o setor cultural no estado. "Para isso, a gente quer completar nesta semana um ciclo de escuta, nós temos 11 reuniões já marcadas com diferentes grupos da comunidade cultural gaúcha para essa semana, se somando às reuniões que nós já fizemos, para poder escutar todo o conjunto de segmentos para que o que for anunciado esteja em linha com as necessidades reais do setor nesse momento e também em linha com aquilo que são as possibilidades do que mesmo num evento climático dessa magnitude, a estrutura legal, os decretos de calamidade nos possibilitem fazer", conta.

 

A reunião foi presidida pelo deputado estadual Leonel Radde (PT), tendo a Presidente da Comissão Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia, a deputada estadual do RS, Sofia Cavedon participado de forma remota, junto ao Secretário-Executivo do MinC, em Brasília.

 

"Felizmente nós temos o Ministério da Cultura que tem um olhar diferenciado. O poder público tem que ser o vetor nesse sentido, para que as pessoas tenham dignidade. A cadeia produtiva da cultura movimenta o PIB mais do que indústria automobilística", disse o deputado Leonel.

 

Segundo a deputada Sofia "a apresentação é mais um esforço para dar visibilidade à necessidade de diálogo e de medidas urgentes de desburocratização". A deputada apresentou 10 pontos para a Cultura no estado na emergência climática, fruto da escuta da comunidade cultural feita no início das enchentes.

 

A Comissão recebeu representantes de todos segmentos da cultura para ouvir os relatos e demandas dos trabalhadores da cultura e das artes. Na ocasião, foi apresentado pelo produtor cultural Vitor Ortiz, Relatório de Danos no Setor Cultural do RS Causados pela Emergência Climática.

 

O relatório mostra que 99,2% das pessoas entrevistadas no estado foram, de alguma forma, prejudicadas pela crise climática no Rio Grande do Sul. Destes, 81,4% têm a cultura como fonte de renda. No estado, 242 eventos foram cancelados ou adiados, além dos inúmeros locais fechados. Clique aqui e confira o estudo.

 

O documento é uma iniciativa voluntária da Produtora Voz Cultural, do Festipoa Literária, do Instituto de Cultura da PUCRS e da Matinal, com apoio institucional do Comitê Liberart RS - Programa Nacional dos Comitês de Cultura, da própria Comissão e do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre.

Instrução Normativa foi publicada ontem (13)

 

O Ministério da Cultura (MinC) publicou, ontem (13), a Instrução Normativa nº 14, estabelecendo medidas emergenciais para projetos culturais no Rio Grande do Sul financiados pela Lei Rouanet. A nova normativa visa garantir a continuidade e viabilidade de ações de produtores que enfrentam dificuldades devido à situação de emergência no estado.
 

As propostas de proponentes do Rio Grande do Sul ou que realizem ações exclusivamente no estado terão prioridade no Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic). Além disso, a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) poderá aprovar projetos em regime de urgência.
 

O MinC também atuará na busca de patrocinadores para apoiar os projetos culturais do estado, firmando termos de compromisso de incentivo. Esta ação visa assegurar que iniciativas importantes, inclusive as relacionadas à conservação de bens tombados e projetos de grande relevância comunitária, recebam o financiamento necessário.
 

A seleção será realizada por Comitê Gestor criado por uma portaria específica, que contará com a participação do Ministério da Cultura, da Secretaria da Cultura do estado do Rio Grande do Sul, da CNIC e de representantes de entidades culturais.
 

Para a ministra da Cultura, Margareth Menezes, a Instrução Normativa é uma resposta imediata do MinC e apoio ao RS.
 

"Estamos trabalhando para assegurar que os projetos culturais no Rio Grande do Sul, financiados pela Lei Rouanet, possam continuar e prosperar apesar das adversidades. Nosso compromisso é garantir que a cultura não pare e que os produtores culturais tenham o suporte necessário", afirmou.
 

Captação e execução de projetos
 

A normativa flexibiliza, em caráter excepcional, as exigências de captação mínima de recursos e movimentação financeira para os projetos afetados. Enquanto os demais projetos devem captar, ao menos, 10% do valor total previsto para seguirem à fase de analise técnica e, consequentemente, sejam autorizados a utilizar o recurso do patrocínio, no caso do Rio Grande do Sul essa condição está suspensa enquanto durar o estado de calamidade pública.
 

Os prazos para captação e execução dos projetos serão, ainda, automaticamente prorrogados até 31 de dezembro de 2024, com possibilidade de extensão até o final de 2025, conforme necessidade e atualização dos cronogramas. Projetos já em fase de comprovação também terão seus prazos estendidos, proporcionando maior flexibilidade aos proponentes da região afetada pelas chuvas.
 

Prestação de contas
 

Para os projetos impactados pela calamidade pública, a prestação de contas poderá ser realizada com documentação específica que justifique adiamentos, execuções parciais ou despesas imprevistas. A avaliação de resultados levará em conta as excepcionalidades impostas pela situação de emergência, aplicando os princípios de razoabilidade e proporcionalidade.
 

A instrução normativa também suspende, até 31 de dezembro de 2024, a aplicação de sanções a proponentes do Rio Grande do Sul, incluindo a decretação de inadimplência e a cobrança de medidas compensatórias para dívidas inferiores a R$ 10 mil.
 

O secretário de Economia Criativa e Fomento Cultural (Sefic), Henilton Menezes, lembra que a Lei Rouanet é um mecanismo amplo e pode também ser utilizado para a reconstrução das estruturas necessárias ao fazer cultural.
 

"Entendemos que o incentivo fiscal previsto na Lei é uma ferramenta de estímulo ao desenvolvimento do setor cultural e pode ser utilizado em situações de calamidade pública, onde há evidências de urgência para realização de ações de reparação e reconstrução do setor", concluiu.

Exemplo de banner - Início 2
Exemplo de banner inicial 2
Exemplo de banner - Início 2